Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

aeaportugal

24
Jul10

Laçamento do Livro "Esperança"

Associação de Estudantes Angolanos em Portugal

 

Lançamento do livro “Esperança"
Teve lugar no dia 23 de Julho de 2010, pelas 18h30 na biblioteca Municipal central – palácio Galveias em Lisboa.
Contou com uma audiência de certa de 50 pessoas, dentre eles a Dr.ª Mariana Leitão, Assessora do Administrador da Puaça Administração e Gestão, S.A, Simão Filipe, Presidente da Associação Académica da Sonangol em Portugal e Edvaldo Fonseca, Presidente da AEA – Portugal.
P R E F Á C I O
Conhecendo os meus vínculos profissionais com a Acção Social, especialmente com a Juventude em Angola, o jovem Kialunga (Kapa), bolseiro angolano em Lisboa, procurou por mim a fim de “pedir ao Kota um grande e especial favor para fazer só uma pequena declaração, tipo prefácio” (sic) à uma obra de que ele se prestava, finalmente, publicar.
     Por julgar que apostar na juventude pressupõe conferir aos jovens oportunidades de crescimento, animei o ‘candidato a escriba’ a dar asas aos seus sonhos…
     Com a publicação da “ESPERANÇA – Um romance contado em versos”, emerge mais um jovem de Angola que ousa palmilhar os complexos caminhos literários.
     Porque ‘Nada é grande nasce grande’, o primeiro passo do novel escritor prenuncia uma caminhada em grande que me parece começar bem, pois faz do Amor – nobre sentimento humano - personificado na beleza do outro semelhante, o ponto-chave do romance. De resto, um romance pejado de solilóquios angustiantes mas também de diálogos tão desafiantes quanto confiantes; de contemplações e rendições mas também de acções e obstinações; de sonhos e medos mas também de conquistas, revezes e desilusões estimulantes de sentimentos de revolta e de retaliação que, entretanto, se desvanecem diante da chama do querer e da crença, diante do sopro da esperança implacável. Essa crença e esperança que no final entoam o hino triunfal sobre o então coração açoitador:
Foi neste momento
Depois de muito sofrimento
Que teu coração deu SIM.
E eu ganhei assim!
     Estamos perante um romance versejado onde, cada um dos 85 poemas dos 11 capítulos do livro, conserva a lógica sequencial de uma mesma e única novela - como estações de uma mesma trajectória - prenhe de neologismos jocosamente criados com a cumplicidade de um linguajar típico, gerado no quotidiano popular, despreocupado, aqui e acolá, com o primor gramatical, em prol da criatividade e inovação.  
     Mas, mais do que a arquitectura e a anatomia do corpo textual, relevância seja conferida à alma textual involucrada por esse corpo.
     Com efeito, polarizando o olhar para a dimensão intrínseca da obra, visualiza-se uma mensagem, um apelo que não se deve confinar necessariamente no simbolismo sentimental das paixões: há, pois, na alma do livro um recado de perseverança, confiança e auto-confiança que são, sem dúvida, premissas necessárias para superar adversidades e alcançar êxitos.
     Afinal, nos percursos da vida, quando se sabe o que se quer e se fazem opções conscientes, é inútil cruzar os braços. É um risco perder a esperança!
Lisboa, Junho de 2010.
   J. Marcos Barrica (Professor de Psicologia)
Biografia do autor
Kialunga Afonso (Kapa – O Poeta),
Nacionalidade angolana, residente em Portugal. Nasceu a 14 de Agosto de 1983, no interior de Angola, na bem situada e prestigiada província do Úige. Amante da literatura e apaixonado pela poesia lírica, encontra no sofrimento uma forma de fazer arte, e na dor que dói e pensa que sente, um jeito de brincar as poesias, desenvolvendo assim uma poesia lírica sofrida mas brincalhona...
Terminou o segundo ano da licenciatura em Língua e Literatura Portuguesa, na Universidade Agostinho Neto, na faculdade de Letras e Ciências Sociais de Luanda. Curso este que foi interrompido na sequência da aceitação de uma bolsa de estudo para Portugal, onde se encontra de momento a finalizar o curso de contabilidade, fiscalidade e auditoria na Universidade Lusófona de Lisboa. E actual presidente da Mesa de Assembleia da Associação Académica da Sonangol em Portugal.
O interesse pela escrita surge como resposta à necessidade de partilhar com o papel os sentimentos que invadiam o seu interior... Os pensamentos quando jorravam à flor da pele, já vinham recheados de rimas, cor, brilho, e ritmo... Os pensamentos já vinham dançando... sorrindo...brincando... Era sensato que os registasse na sua forma original para o branco do papel...E assim Nasceu Kapa – O Poeta veio a ser intitulado por muitos como o “brincalheiro das palavras

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D